domingo, 6 de maio de 2018

Clube Desportivo das Minas da Panasqueira | Clube dos Amigos da Panasqueira

Fundação: 1955
Localidade: Barroca Grande (Aldeia de S. Francisco de Assis), Covilhã
Modalidade: Futebol de 11 e Futsal
Casa: Campo de Jogos da Barroca Grande / Pavilhão António Urgeiro

Situado na aldeia do "couto mineiro", onde fica um dos pólos mais importantes das Minas da Panasqueira, este clube foi nos seus tempos áureos, o local de diversão da população e dos milhares de mineiros que residiam na Barroca Grande, e semelhante ao clube vizinho da aldeia de Panasqueira, também o verde e branco eram as suas cores. Foi fundado na década de 50 como "Grupo Desportivo dos Trabalhadores das Minas da Panasqueira", e surgiu também ele muito associado ao hóquei em patins que na altura era um desporto muito popular em Portugal, a equipa chegou a vencer vários títulos e a participar na II.ª Divisão Nacional, tendo dali saído jogadores que representaram equipas a nível nacional, e cujo pavilhão desportivo tem o nome de um desses jogadores formados lá formados, sendo o hóquei uma modalidade que deu muita fama ao clube.

Mas no que ao futebol diz respeito não menos gloriosa foi a existência da sua equipa, logo que criado, o clube estreia-se no campeonato distrital de Castelo Branco na época de 1955/56, onde depois compete durante vários anos, tendo em 1957/58 participado também como representante da AFCB na III.ª Divisão Nacional, o mesmo acontece nas épocas de 1960/61 e 1961/62, mas nestas devido ao campeonato distrital não se realizar por falta de equipas, facto que leva o clube das Minas da Panasqueira a competir depois também no campeonato da FNAT (antigo Inatel), onde abundavam na sua maioria equipas de trabalhadores de empresas da região.

De regresso ao campeonato distrital em 1968/69, o clube vence a competição em 1970/71, regressando à III.ª Divisão Nacional, desta vez como campeão distrital, apesar da equipa descer logo na época seguinte, a participação dos "mineiros" no distrital dura ininterruptamente até à sua última presença na época de 1983/84, dedicando-se depois ao futebol jovem, numa altura de crise nas minas e no próprio clube, que era também ele do povo.

A coletividade continuou nos anos seguintes com altos e baixos, realizando outras atividades, e em 2005 o clube participa no campeonato distrital de futsal onde competiu até à temporada de 2008/09, recebendo obras no seu pavilhão. Atualmente continua a ser o clube mais importante da sua freguesia e a principal coletividade da Barroca Grande, com os mineiros a fazerem ainda parte do seu presente.




Fundação: 1938
Localidade: Panasqueira (S. Jorge da Beira), Covilhã
Modalidade: Futebol de 11
Casa: Campo de Jogos da Panasqueira

Localizado na terra que deu nome ás tão conhecidas minas, o Clube dos Amigos da Panasqueira é desde 2000, a nova designação do histórico Clube Recreativo das Minas da Panasqueira, o clube dos mineiros que chegou a ser umas das mais populares colectividades da sua zona.
 
Fundado em 1938, e com sede na aldeia de Panasqueira, local onde se situa uma das principais minas de volfrâmio da Europa, foi criado para empregados e operários das minas, devendo-se ao esforço de muitos, especialmente do Engº Joaquim de Sousa Birne, que fizeram nascer assim o "Clube Recreativo e Desportivo das Minas da Panasqueira". Logo que instalada começou a funcionar com uma sala de jogos diversos, como bilhar, ping-pong, damas, dominó, etc, sendo frequentada maioritariamente por empregados e operários das minas, que perfaziam grande parte dos cerca de 3 mil habitantes que havia na freguesia, desenvolvimento gerado em torno das minas. O clube muda depois o nome para "Clube Recreativo das Minas da Panasqueira" removendo o "Desportivo" da sua designação, para não ser confundido com o clube da Barroca Grande (onde ficava a outra mina).

Nos anos 40 e em pleno auge da sua laboração (em consequência da II.ª. Guerra Mundial), é construído um cinema e um ringue de patinagem na Panasqueira, assim como a construção do campo de futebol e de uma piscina. O clube organizou sempre grandes jogos de futebol com diversas equipas, desde encontros com aldeias vizinhas, até partidas entre empregados portugueses e empregados ingleses, do pais da empresa que geria as minas, a "Beralt Tin and Wolfram". A principal actividade desportiva do clube da Panasqueira acabou por se tornar o hóquei em patins, onde a equipa chegou aos campeonatos nacionais, e teve ainda actividade por muitos anos.

Nas décadas seguintes a mina atravessou várias crises, sofrendo um decréscimo muito significado de operários em relação a outros tempos, isto levou a que a Panasqueira e as restantes aldeias em redor perdessem população e consequentemente serviços, terras que deveram muito do seu desenvolvimento à existência das minas. O clube entrou em inactividade com a mudança da empresa que explorava as minas e após um fatídico incêndio ocorrido no ano de 2000, que se alastrou na sua sede e destruiu muito do seu património, o clube reergueu-se com a ajuda do povo e da Câmara Municipal da Covilhã, e agora sob uma nova designação mais ligada à própria aldeia e não tanto aos mineiros, tornou-se num espaço moderno com óptimas instalações ao serviço da comunidade sendo um ponto de encontro com várias actividades recreativas, tendo ainda um polidesportivo para encontros esporádicos de futsal.

Sem comentários:

Enviar um comentário